O melhor e o pior da Semana 9: SEC

O melhor e o pior da Semana 9: SEC

A Semana 9 da SEC foi bem menos movimentada do que as demais, muito pelo fato de Alabama ter folgado e ter dado uma pausa no caos da divisão oeste. Porém, alguns resultados sacudiram a conferência neste último sábado: a vitória maiúscula de Auburn sobre Ole Miss, que colocou a equipe de vez no páreo pelo título nacional, e o upset de South Carolina sobre Tennessee.

O melhor

Acredite se quiser: Kentucky é vice-líder da SEC leste

Todo mundo sabe que Kentucky não é uma universidade voltada para o futebol americano. Depois da derrota para Southern Miss na estreia então, todos queriam a cabeça de Mark Stoops. Porém, os Wildcats mostraram aos poucos que estavam recuperados daquele tropeço: a equipe venceu os adversários “ganháveis” da tabela interna (South Carolina, Vanderbilt, Mississippi State e Missouri neste último sábado) e está com retrospecto 4-2 dentro da conferência (e 5-3 no geral), apenas uma derrota atrás da líder Florida. Porém, a possibilidade do time jogar a final é baixa: além de ter que derrotar Georgia e Tennessee, é preciso torcer para que os Gators percam duas partidas dentro da SEC. Impossível não é: Florida pega Arkansas e LSU – ambas fora de casa – e pode muito bem tropeçar nestes dois confrontos, já que são times fortes o bastante para batê-los.

Auburn realmente não está pra brincadeira e ainda sonha com título nacional

Tudo bem que Ole Miss não vive grande fase, mas o jogo era um divisor de águas: valia nada menos que a continuidade na corrida pelo título da divisão. E os Tigers não decepcionaram: apesar do começo complicado, a equipe virou o jogo no último período e impôs a quinta derrota dos Rebels na temporada. A vitória veio nas trincheiras: com 307 jardas terrestres anotadas contra apenas 105 do adversário, a tarefa de pontuar ficou mais fácil e foi muito mais fácil da defesa parar Chad Kelly. Kelly teve que lançar 59 passes no jogo e, embora tenha lançado para 465 jardas e 3 touchdowns, foi uma estrela solitária no problemático time de Mississippi que, com campanha 4-5, agora precisa se preocupar em garantir uma vaga na Bowl Season.

O pior

Tennessee e a freguesia para Will Muschamp

Se você pesquisar o nome de Will Muschamp no Google, o quinto link da página 1 das buscas terá a seguinte manchete em letras garrafais: “Tennessee está agora com 0-5 contra Will Muschamp“. Talvez você esteja se perguntando: quem é Will Muschamp? Deve ser um grande treinador, certo? Bem… não.

Muschamp foi o responsável por pegar o programa de Florida em 2011 das mãos de ninguém menos que Urban Meyer e conseguir praticamente destruí-lo em questão de quatro anos. Com exceção da temporada de 2012, onde quase levou o título da divisão, ele teve uma temporada 6-6, outra com 4-8 (incluindo uma derrota para Georgia Southern, ainda na FCS na época) e outro retrospecto 6-5 – ele foi demitido dos Gators antes do fim da temporada regular de 2014. Depois de passar um ano em Auburn como coordenador defensivo (e quase ter feito o time perder a vaga na Bowl Season), ainda conseguiu o feito de ser contratado por South Carolina para substituir Steve Spurrier.

Porém, há uma coisa que só Muschamp (além de Nick Saban, é claro) conseguiu: fazer Tennessee de freguês. De 2011 a 2014, mesmo com campanhas horríveis, ele sempre derrotou os Vols. Em 2016, mesmo com um elenco muito superior ao do adversário, os Volunteers conseguiram ceder 75% de passes completos para um quarterback calouro que no ano passado pulou o seu último ano de High School para jogar por South Carolina (eu juro que não sabia que essa possibilidade existia) e perder por 24-21 para um time que provavelmente nem irá à Bowl Season. Com isso, Butch Jones conseguiu sepultar de vez as chances de título de divisão, entregar nas mãos de Florida a ida para a final da SEC e fazer com que o running back Jalen Hurd, um dos seus melhores jogadores recrutados, pedisse transferência. Pior: fontes apontam que Michigan deve ser seu provável destino.

Isso só me leva a ter que concluir duas coisas: fechem o programa de futebol americano de Tennessee e demitam Butch Jones. Não é possível.

A defesa de Mississippi State…

…que levou 41 pontos da Samford, da FCS. O time venceu por 56-41, mas cedeu impressionantes 627 jardas. E pensar que, há apenas dois anos, os Bulldogs se tornavam o primeiro #1 da história dos rankings do College Football Playoff…

Jogador da semana: Kamryn Pettway, RB – Auburn

No grande domínio terrestre de Auburn, Pettway foi o destaque: ele anotou 236 jardas em apenas 30 carregadas (média de 7,9 jardas por corrida) e 1 touchdown. Seu desempenho facilitou muito para o restante do time pontuar: Kerryon Johnson anotou 2 touchdowns em apenas 11 carregadas para 42 jardas.

Resultados dos times da SEC na Semana 9

Sábado, 29 de outubro:

#9 Texas A&M Aggies 52-10 New Mexico State Aggies
Georgia Bulldogs 10-24 #14 Florida Gators
Ole Miss Rebels 29-40 #15 Auburn Tigers
South Carolina Gamecocks 24-21 #18 Tennessee Volunteers
Missouri Tigers 21-35 Kentucky Wildcats
Mississippi State Bulldogs 56-41 Samford Bulldogs (FCS)

Alabama, LSU e Vanderbilt folgaram.

Jogos dos times da SEC na Semana 10

Sábado, 5 de novembro:

14h: Ole Miss Rebels vs. Georgia Southern Eagles
14h: Mississippi State Bulldogs vs. #4 Texas A&M Aggies
14h: #9 Auburn Tigers vs. Vanderbilt Commodores
17h30: Arkansas Razorbacks vs. #11 Florida Gators
18h: South Carolina Gamecocks vs. Missouri Tigers
18h: Tennessee Volunteers vs. Tennessee Tech Golden Eagles (FCS)
21h30: Kentucky Wildcats vs. Georgia Bulldogs
22h: #13 LSU Tigers vs. #1 Alabama Crimson Tide

Foto: Butch Dill/Getty Images North America

Attachment

felipem

Estudante de jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria e criador do College Football Brasil. Imparcialidade não existe, College Football é melhor que NFL e apaixonado por esportes. Torcedor da Universidade de Tennessee.