Em ação surpreendente, California demite o treinador Sonny Dykes

Em ação surpreendente, California demite o treinador Sonny Dykes

Apenas em sua quarta temporada e pegando um programa problemático, Sonny Dykes viu a surpresa acontecer: California o demitiu na manhã deste domingo, no horário da costa oeste dos EUA. A informação original foi divulgada primeiramente por Bruce Feldman, insider de College Football da Fox Sports.

Pouco depois, o departamento atlético confirmou a sua saída:

Sonny Dykes assumiu Cal em 2013 após bons desempenhos em Louisiana Tech – que incluíram o título da finada WAC em 2011. Em Berkeley, seu desempenho, no entanto, não foi o esperado: em quatro temporadas, um decepcionante desempenho de 19-30, incluindo uma temporada 1-11 em 2013 e apenas uma temporada com recorde positivo (8-5 em 2015).

Conhecido por sua air raid offense (sistema ofensivo baseado em recebedores espalhados e um playbook focado em muitos passes por jogo), seu produto mais bem-sucedido foi o quarterback Jared Goff, primeira escolha geral do Draft da NFL em 2016 e cujo substituto, Davis Webb, terminou a temporada de 2016 com 4295 jardas, 37 touchdowns e 12 interceptações. Com exceção de 2013, em todos os anos Cal anotou uma quantidade superior a 35 pontos por jogo, em média. Contudo, em todos os anos os Golden Bears sofreram uma quantidade superior a 30 pontos por partida e foi a que mais cedeu pontos por jogo da Pac-12 em 2013, 2014 e 2016. A fraca defesa pode ter sido fator influenciador, mas a ação surpreende para a época do ano, a menos de um mês do National Signing Day.

Jake Spavital, coordenador ofensivo dos Golden Bears, comandará a equipe interinamente até a escolha do novo treinador. O nome mais cotado para o lugar é Chip Kelly, vice-campeão nacional com Oregon em 2010 e recém demitido do posto de treinador do San Francisco 49ers. Há, inclusive, quem acredite que o fato dele estar livre um fator fundamental para a demissão de Sonny Dykes.

Foto: Cary Edmondson/USA Today Sports

Attachment

felipem

Estudante de jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria e criador do College Football Brasil. Imparcialidade não existe, College Football é melhor que NFL e apaixonado por esportes. Torcedor da Universidade de Tennessee.