[PREVIEW CFB 2016] Conference USA

[PREVIEW CFB 2016] Conference USA

Pela primeira vez desde o começo da década a Conference USA irá iniciar uma nova temporada com os mesmos programas participantes do ano anterior. Contudo, em 2017 a conferência já acertou com UAB para se juntar aos outros 13 programas que compõem a conferência e, assim, conseguir formar duas divisões balanceadas com 7 times cada.

Como foi em 2015:

De modo geral, a conferência desapontou no ano de 2015: apenas cinco das treze equipes conseguiram se qualificar para a temporada de Bowls.

Na divisão leste tivemos maior equilíbrio entre as equipes, mas Western Kentucky mostrou sua força ao derrotar todos seus adversários diretos e conquistar o título da conferencia encima do campeão da divisão oeste Southern Mississipi. Logo atrás dos Hilltroopers ficaram Marshall e Middle Tennessee, que tiveram uma temporada decente e conseguiram a elegibilidade para a pós temporada.

Do lado da divisão oeste encontramos uma maior disparidade entre os times, e Southern Mississippi conquistou o título e a vaga para a final da conferência após derrotar Louisiana Tech, seu adversário direto, fora de casa por 58 a 24, já no final de novembro.

Alguns times como Florida International, Old Dominion, Rice e UTEP tiveram uma temporada regular, mas acabaram terminando a temporada com apenas cinco vitórias, insuficiente para alcançar uma vaga de Bowl. Outros programas pouco foram notados: Florida Atlantic e Texas San Antonio acabaram 3-9 na temporada, Charlotte 2-10 e North Texas 1-11.

Bowls garantidos em 2016:

Foto: Chris O’Meara/Associated Press

A Conference USA possui contrato para disputar seis Bowls no ano de 2016: New Mexico Bowl e New Orleans Bowl no dia 17 de dezembro, Boca Raton Bowl no dia 20 de dezembro, Bahamas Bowl no dia 23 de dezembro, Hawaii Bowl no dia 24 de dezembro e o Heart of Dallas Bowl no dia 27 de dezembro.

A conferência também possui um contrato secundário com o Independence Bowl no dia 26 de dezembro, o jogo contará com a presença de times da ACC e SEC, mas caso alguma dessas ligas não tenha times elegíveis o suficiente para preencher a vaga, algum time da C-USA será chamado para o Bowl. Além disso, caso o melhor time da conferência seja considerado o time de melhor campanha do Group of Five, o mesmo jogará o Cotton Bowl no dia 2 de janeiro de 2017.

O que esperar da conferência para 2016:

Old Dominion e Southern Mississippi

A situação não deve mudar muito em um âmbito geral. A divisão leste continuará sendo a mais equilibrada e veremos pelo menos três programas (Marshall, Middle Tennessee e Western Kentucky) com boas condições de chegar ao título da divisão e consequentemente a final da conferência. O nível das três equipes citadas anteriormente se encontra muito parecido para 2016 e fica difícil de falar em favoritismo entre essas universidades, porém Middle Tennessee contará com um time mais experiente que seus adversários, fator que pode ser determinante com tamanho equilíbrio.

Do outro lado, na divisão oeste, o favoritismo de Southern Mississippi se torna cada vez mais claro. O programa foi considerado um dos que mais evoluíram no ano de 2015 e parece continuar sua ascensão para 2016. Seu principal adversário será Louisiana Tech, que perdeu seus principais jogadores para a NFL, incluindo o quarterback Jeff Driskel. O confronto entre as duas equipes está programado para a última rodada (25 de novembro) e Southern Mississippi terá plenas condições de alcançar seu segundo título de divisão consecutivo jogando dentro de casa.

Todos os outros programas que compõem a Conference USA devem batalhar para conquistar ao menos seis vitórias e preencher uma das vagas garantidas pela conferência na Bowl season.

Nível da conferência, de 1 a 10: 2

O que esperar de cada time:

Charlotte: O programa vem de apenas duas vitórias, todas fora da conferência, em seu primeiro ano na FBS. Como 2015 foi um ano de adaptação para a equipe e com o retorno de 16 titulares, Charlotte precisará ser mais competitivo nessa temporada. Os 49ers necessitam de algumas vitórias dentro de sua conferência para poder criar moral no seu time e sua primeira oportunidade será logo no dia primeiro de outubro contra a equipe de Old Dominion. Provavelmente não irá se qualificar para a Bowl season de 2016.

Principais Jogadores: Kalif Phillips (RB), Kevin Olsen (QB) e Larry Ogunjobi (NT).

Florida Atlantic: FAU vem de duas temporadas consecutivas com apenas três vitórias. Para 2016, o programa buscará dobrar esse número de triunfos e se tornar elegível para a Bowl season. Enquanto seu ataque enfrentará mudanças com as saídas do quarterback Jaquez Johnson e do coordenador ofensivo Brian Wright, a defesa dos Owls contará com a volta de jogadores experientes como Trey Hendrickson e terá papel fundamental no começo da temporada para que Florida Atlantic alcance seis vitórias. A expectativa é que o time assugure as duas vitórias no começo da temporada contra Southern illinois e Ball State, ambas partidas em Boca Raton, e perca suas outras duas partidas fora de conferência, contra Kansas State e Miami (FL). Dentro da C-USA é esperado que o time dispute de igual para igual contra todos os outros programas que enfrentará.

Principais Jogadores: Azeez Al-Shaair (LB), Jalen Young (SS), Trey Hendrickson (DE) e Reggie Bain (OT)

Florida International: O principal objetivo para essa equipe é ser consistente nessa temporada, o que permitirá que FIU alcance seis ou mais vitórias e a tão sonhada elegibilidade. O ataque dos Golden Panthers contará com o retorno de nove titulares e poderá ser uma surpresa na temporada de 2016. O quarterback Alex McGough entrará em sua terceira temporada como titular da equipe e terá a liderança em suas mãos, juntamente com o ótimo running back Alex Gardner. Na parte defensiva, Florida International encontrará certa dificuldade com o pass rush, já que três titulares da linha defensiva não retornarão para essa temporada. Há uma grande expectativa de que os Golden Panthers comecem bem na primeira metade da temporada, consigam entrar com moral na segunda metade do seu calendário e conquistem a vaga na Bowl season de 2016.

Principais Jogadores: Jonnu Smith (TE), Alex Gardner (RB), Anthony Wint (LB) e Alex McGough (QB)

Louisiana Tech: Louisiana Tech conseguiu nove vitórias em cada uma das duas últimas temporadas e, com o feito, se estabeleceu como um dos melhores programas dentro no Group of 5. Com a saída de Jeff Driskel e Kenneth Dixon, quarterback e running back titulares, a expectativa é de uma leve queda na produção dos Bulldogs em 2016. Ainda assim, espera-se que o programa se torne mais uma vez elegível para a Bowl season. A chave para o sucesso de Louisiana Tech nesse ano passa pela sua linha ofensiva: três titulares retornarão ao time e irão estabelecer um vigor físico muito elevado nas trincheiras. Já na defesa, o time do técnico Skip Holtz terá a volta de apenas dois titulares e está em processo de reconstrução. Atletas como o safety Xavier Woods e o defensive end Jaylon Ferguson precisarão liderar essa nova defesa para que os Bulldogs tenham condições de fazer mais uma temporada boa e atinja a elegibilidade.

Principais Jogadores: Trent Taylor (WR), Xavier Woods (S), Jaylon Ferguson (DE) e Darrell Brown (OT)

Marshall: O time conquistou dez vitórias ou mais em cada uma de suas três últimas temporadas. Marshall possui um programa que sempre espera disputar o título e esse ano não será diferente. Seus grandes concorrentes diretos serão Middle Tennessee e Western Kentucky, times com os quais disputará o título da divisão leste e uma vaga na final de conferência, e ambas as partidas serão disputadas em Huntinton, West Virginia, casa dos Thundering Herd. No lado ofensivo da bola, Marshall precisará contar muito com sua linha ofensiva, já que o quarterback Chase Litton perdeu seus dois principais recebedores. Na defesa, o técnico Doc Holliday terá que encontrar soluções para a sua secundária: o time perdeu seus dois cornerbacks titulares, além disso o linebacker Evan McKelvey, melhor jogador defensivo da C-USA da temporada passada, também não retornará em 2016.

Principais Jogadores: Clint Van Horn (OT), Chase Litton (QB), Gary Thmpson (DE) e Tiquan Lang (S)

Middle Tennessee: Middle Tennessee vem sendo um programa muito consistente nos últimos anos, mas sempre bate na trave. A equipe se juntou à conferência em 2013 e, desde então, fica em segundo lugar na divisão leste, o que não deixa de ser um bom resultado. No ano de 2016 as coisas podem mudar: é verdade que os Blue Raiders irão enfrentar adversários complicados fora de conferência como Vanderbilt e Missouri, mas o time conta com a volta de diversos titulares, tanto na defesa quanto no ataque, e estará focada em finalmente chegar a tão sonhada final de conferência. Para isso, a dupla de sophomores Brent Stockstill e Richie James será fundamental ao longo de toda temporada. A expectativa é de mais um ótimo ano em Murfreesboro, Tennessee e que dessa vez venha o título de divisão, juntamente com a vaga na final da conferência.

Principais Jogadores: Brent Stockstill (QB), Richie James (WR) e Jaremy Cutrer (CB)

North Texas: Melhorar a campanha de apenas uma vitória da última temporada não será tarefa tão difícil para North Texas, porém a temporada será muito complicada e não se espera que o time consiga mais do que quatro triunfos. Mesmo estando na divisão mais fraca da conferência, falta talento e competitividade para o Mean Green. A grande esperança de vitórias ficará nas mãos do quarterback transferido de Alabama Alec Morris, mas o problema será a linha ofensiva que ainda é muito jovem e inexperiente. Esse será um ano de reconstrução, tanto no ataque como na defesa, e servirá de experiência para que o time se torne mais forte nos próximos anos.

Principais Jogadores: Alec Morris (QB), Jeffrey Wilson (RB), Jarrian Roberts (DE) e Kishawn McClain (FS)

Old Dominion: A temporada de 2015 foi a pior durante os sete anos do comando do técnico Bobby Wilder, que pela primeira vez viu seu time conseguir mais derrotas do que vitórias. A expectativa é de que o programa volte aos trilhos e consiga pelo menos seis vitórias no ano de 2016. O jogo terrestre promete ser muito bem trabalhado para essa temporada, assim, controlando o tempo do jogo e mantendo sua defesa fora do campo. Já no lado defensivo, os Monarchs têm deixado muito a desejar, e permitiram pelo menos 36 pontos em todas as partidas que disputaram nos últimos dois anos. No geral, a equipe deve ser mais equilibrada que a do ano passado e deve disputar uma vaga na Bowl season de 2016.

Principais Jogadores: Ray Lawry (RB), Zach Pascal (WR), TJ Ricks(LB) e David Washington (QB)

Rice: Rice vem de uma campanha não tão boa no ano passado, ficando fora de um Bowl game pela primeira vez em quatro anos. A equipe dos Owls encontrará certa dificuldade ao longo de 2016: enfrentará Western Kentucky, atual campeão da C-USA, já na primeira rodada e ainda terá jogos complicados contra Southern Mississippi e Louisiana Tech fora de casa. Além disso, fora da conferência a equipe terá partidas muito dificeis contra Baylor e Stanford. A expectativa é que Rice lute por uma vaga na Bowl season dessa temporada. Os Owls enfrentarão seus adversários mais fracos dentro de seus domínios e terão boas chances de voltar à elegibilidade depois de uma temporada difícil em 2015.

Principais Jogadores: Alex Lyons (LB), Brian Womac (DE) e Darik Dillard (RB)

Southern Mississippi: Depois de ser derrotado por Western Kentucky na final de conferência no ano passado, Southern Mississippi pretende conquistar o título da C-USA nessa temporada e qualquer outro resultado será considerado como um fracasso. Mesmo com a saída do técnico Todd Monken e do coordenador ofensivo Chip Lindsey, os Golden Eagles permanecem como favoritos na divisão oeste, lado mais fraco da C-USA. O calendário de Southern Mississippi para 2016 não poderia ser melhor, já que a equipe enfrentará Louisiana Tech, adversário direto, dentro de casa na última rodada da temporada. Apesar de enfrentar dois adversários da SEC, Kentucky e LSU, fora de casa, a equipe de Southern Miss terá plenas condições de ganhar todas as outras partidas previstas para seu calendário e conquistar o título da C-USA de 2016.

Principais Jogadores: Nick Mullens (QB), Ito Smith (RB) e Dylan Bradley (NT)

Texas San Antonio: Com a saída do técnico Larry Coker, os Roadrunners terão um ano de reconstrução debaixo do comando do seu novo técnico Frank Wilson. Com a indecisão de um nome para a posição de quarterback, a expectativa é que UTSA abuse do jogo terrestre nessa temporada com seu melhor jogador, Jarveon Willians. No lado defensivo da bola, os Roadrunners poderão encontrar certa dificuldade ao longo da temporada pelo fato de ser uma unidade muito jovem. Espera-se que Texas San Antonio melhore seu desempenho de apenas três vitórias no ano passado e consiga construir alguma moral para o time nas próximas temporadas.

Principais Jogadores: Jarveon Williams (RB), Michael Egwuagu (SS) e Marcus Davenport (DE)

UTEP: Os Miners perderam a Bowl season de 2015 por apenas um triunfo e prometem conseguir as tão sonhadas seis vitórias que precisam nessa próxima temporada. O técnico Sean Kugler contará com o retorno de 15 titulares e uma linha ofensiva experiente. O ataque de UTEP será muito físico e promete desgastar muito as defesas adversárias com sua estrela na posição de running back, Aaron Jones.  O ano de 2015 foi muito complicado por conta das contusões, 17 titulares estavam machucados em algum momento, e se o time dos Miners conseguir permanecer saudável, a expectativa é de que conquistem uma das vagas para o Bowl season desse ano.

Principais Jogadores: Aaron Jones (RB), Alvin Jones (LB) e Will Hernandez (OG)

Western Kentucky: Western Kentucky cumpriu seu papel no ano passado, ganhou todos os jogos de conferência e se sagrou campeã da C-USA. Com a saída de seu quarterback e principal jogador, Brandon Doughty, o técnico Jeff Brohm está buscando novas alternativas para o ataque dos Hilltroopers. O novo ataque de Brohm estará mais focado no jogo terrestre para a temporada de 2016 e talvez não seja tão explosivo quanto o ano anterior. Do outro lado, a defesa teve grandes avanços nessa offseason: com a adição dos seniors transferidos Keith Brown (LB) e Nick Dawson-Brents (DE,) o front seven dos Hilltroopers promete ser mais dominante do que nunca. A expectativa é que WKU brigue pelo título da divisão leste, tarefa que será especialmente difícil em 2016 já que enfrentará seus dois concorrentes diretos, Marshall e Middle Tennessee, fora de casa.

Principais Jogadores: Tawan Taylor (WR), Forrest Lamp (LT), T.J. McCollum (LB) e Anthony Wales (RB)

Palpites para o título da Conference USA

Aposta segura: Southern Mississippi

Aposta arriscada: Western Kentucky

Aposta improvável: North Texas

Attachment

gui-dalla

Estudante de engenharia química na UFPR, flamenguista e fanático por esportes. Descobriu o mundo dos esportes universitários em 2013, quando foi estudar na Florida State University. Louco por futebol americano, tanto profissional quanto universitário, também acompanha de perto a NBA e a MLB. Além de ser apaixonado pela FSU, também torce para o Tampa Bay Buccaneers.