O melhor e o pior da semana 6: Big 12

O melhor e o pior da semana 6: Big 12

Uma grande e inesperada zebra marcou a semana 6 da Big 12: Iowa State derrubou Oklahoma em plena Norman. Os Sooners continuam colecionando fracasso ano após ano e ficando longe do sonho do título nacional. Agora, TCU é a última invicta da conferência e aparece ranqueada como número #6 – campanha de fato surpreendente.

E no glorioso bingo da Big 12? Cinco de nove categorias foram marcadas. O duelo entre Texas Tech e Kansas passou de 80 pontos e, claro, os Jayhawks levaram a pior. E não chegaram nem perto de anotar 40 pontos, o que deixa já uma casa em branco. Kenny Hill não lançou nenhuma interceptação (mais uma vez!) e não houve tiroteio. Também faltou algum quarterback passar das 400 jardas:

O melhor: TCU leva a melhor em duelo equilibrado contra West Virginia e mantem invencibilidade

Foi muito complicado. TCU e West Virginia estiveram empatados por 17 a 17 e 24 a 24 até que os Horned Frogs marcaram o touchdown da vitória a três minutos do fim. Dessa vez, não houve tempo para que os Mountaineers reagissem e o placar final apontou 31 a 24 para os mandantes.

Apesar da boa exibição de Will Grier, que segue saindo melhor que a encomenda em West Virginia e lançou 366 jardas e três touchdowns, a defesa dos Sapos Chifrudos segue realizando um trabalho digno de nota. Depois de segurar Oklahoma State na casa dos 30 pontos, agora foi a vez de outra poderosa unidade ofensiva da Big 12 sair de campo com uma pontuação relativamente baixa.

Do outro lado, Kenny Hill teve números modestos passando a bola (15-28, 188 jardas, um touchdown), mas também teve boas corridas e recebeu um passe de KaVontae Turpin para um longo touchdown espetacular em uma trick play. Essa criatividade pode ter sido a chave para a vitória de TCU.

Um duelo tão equilibrado entre duas equipes ranqueadas ajuda a restaurar nacionalmente a imagem da Big 12.

Texas vence Kansas State na prorrogação e continua recuperação

Depois de um início decepcionante, Texas vem conseguindo se recuperar bem na temporada. Os Longhorns voltaram a apresentar uma campanha positiva após derrotar Kansas State por 40 a 34 na prorrogação.

O grande destaque foi o quarterback calouro Sam Ehlinger, que vem ganhando espaço com as recorrentes lesões de Shane Buechele. O jovem se tornou o terceiro signal caller com o maior número de jardas totais em uma partida na história do glorioso programa, conseguindo 380 jardas aéreas e mais 107 terrestres.

Texas também contou com o quarterback adversário, Jesse Ertz, saindo lesionado no terceiro quarto e dando lugar a Alex Dalton, que tentou apenas cinco lançamentos. Após liderarem por quase todo o tempo, os Wildcats sofreram o empate a 1:37 do fim. Na primeira prorrogação, os dois lados conseguiram touchdowns, mas na segunda apenas os Longhorns conseguiram alcançar a endzone.

Também vale destacar que o cornerback DeShon Elliott conseguiu sua quinta interceptação nos últimos três jogos.

Texas Tech faz sua obrigação e atropela Kansas

Não há muito o que ser dito sobre esse jogo – Texas Tech foi a Lawrence e enfrentou Kansas com obrigação de vencer. Os Jayhawks não ofereceram quase nenhuma resistência e o placar final foi de 65 a 19 para os Red Raiders. Nic Shimonek nem precisou usar muito seu braço, completando 19 de 24 passes (um número muito baixo de tentativas para o programa texano!) para 233 jardas e dois touchdowns. Na defesa, Dakota Allen continua impressionando.

O pior: Oklahoma decepciona, como em todos os anos anteriores

Quando Oklahoma venceu Ohio State fora de casa no começo da temporada, pareceu que os demônios seriam exorcizados e os Sooners finalmente teriam uma chance real de postular ao título nacional. Só precisaria passar com tranquilidade pela Big 12. Só que no meio do caminho havia um destemido time de Iowa State.

A impressão era que Oklahoma venceria o jogo com tranquilidade. Abriu duas posses de bola de vantagem logo no início e continuou pontuando. Só que a defesa decidiu parar de jogar e não conseguia mais parar qualquer ação ofensiva dos Cyclones. Foi questão de tempo para a virada e a vitória visitante.

Muita gente teve atuações de luxo no ataque de Iowa State. Falaremos mais sobre o quarterback Kyle Kempt em breve, mas destaque também para nomes como Trever Ryen, David Montgomery e Allen Lazard. No final, vitória dos Cyclones por 38 a 31.

Jogador ofensivo da semana: Kyle Kempt, QB, Iowa State

Imagine que você é um quarterback em seu último ano de elegibilidade, mas nunca começou um jogo na carreira. Transferido de Oregon State, Kempt ficou no banco em Iowa State por todo o ano de 2016 e parecia que 2017 seguiria o mesmo rumo. Aí, veio a grande oportunidade: com Jacob Park lesionado, ele conduziria o ataque dos Cyclones contra o melhor time da conferência e fora de casa.

Kempt tremeu? Não. Ele foi praticamente impecável, completando 18 de 24 passes para 343 jardas, três touchdowns e nenhuma interceptação. Mesmo que ele não volte a entrar em campo (há agora uma controvérsia de quarterbacks em Iowa State e ainda não houve o anúncio do titular para a próxima partida), sua carreira universitária terá valido à pena pelo dia que produziu esse grande upset.

Jogador defensivo da semana: Joel Lanning, LB, Iowa State

Joel Lanning continua a impressionar. E nós continuamos a falar dos Cyclones. Em 2016, ele era o quarterback titular da equipe. Perdeu espaço para Jacob Park e, decidido a seguir forte no futebol americano, se converteu para linebacker. Depois de ótimas exibições em partidas anteriores, veio o duelo contra Oklahoma.

Lanning foi muito bem na defesa, somando oito tackles, sendo um deles para perda de jardas, e um sack. Para que ele fosse ainda mais decisivo na partida, Kyle Kempt sofreu com uma pequena lesão e saiu de campo por um tempo. Então, o atual linebacker foi forçado a atuar em sua antiga posição. Ele não decepcionou, completando dois de seus três passes para 25 jardas e correndo nove vezes para 36 jardas. Antigo líder do ataque, agora ele é o líder da defesa. Mas não esqueceu como se faz do outro lado.

Jogadas da semana

Bom passe e recepção para Kansas. Só que Justus Parker, de Texas Tech, disse AQUI NÃO, QUERIDINHA. Arrancou a bola das mãos do wide receiver e correu para o touchdown:

David Montgomery foi um dos nomes que deu mais trabalho à defesa de Oklahoma. Aqui, ele recebe o passe e corta a defesa inteira, correndo 46 jardas até ser detido:

Por fim, momento trick play – passe de KaVontae Turpin para o quarterback Kenny Hill anotar o touchdown para TCU:

Resultados dos times da Big 12 na semana 6:

#3 Oklahoma Sooners (4-1) 31-38 Iowa State Cyclones (3-2)
#8 TCU Horned Frogs (5-0) 31-24 #23 West Virginia Mountaineers (3-2)
Kansas Jayhawks (1-4) 19-65 Texas Tech Red Raiders (4-1)
Texas Longhorns (3-2) 40-34 Kansas State Wildcats (3-2)

Jogos dos times da Big 12 na semana 7:

Sábado, 14 de outubro

13h: Kansas State Wildcats (3-2) x #6 TCU Horned Frogs (5-0)
13h: West Virginia Mountaineers (3-2) x #24 Texas Tech Red Raiders (4-1)
13h: Iowa State Cyclones (3-2) x Kansas Jayhawks (1-4)
16h 30: Texas Longhorns (3-2) x #12 Oklahoma Sooners (4-1)
16h 30: #14 Oklahoma State Cowboys (4-1) x Baylor Bears (0-5)

Attachment

carlosmassari

Carlos Massari é graduado em Comunicação Social - Midialogia pela Unicamp e atualmente faz pós-graduação em Jornalismo Esportivo. É viciado em todos os tipos de esportes. Cinema, cervejas e viagens também o fazem feliz.