O melhor e o pior da semana 4: Big 12

O melhor e o pior da semana 4: Big 12

Uma semana de tranquilidade! Uma semana em que todos os times venceram os rivais de fora da conferência! Uma semana que ninguém perdeu a invencibilidade!!!!1!!

A Big 12 realmente precisava disso. Só seis dos dez times da conferência entraram em campo, e só Oklahoma State – que enfrentou Baylor – saiu derrotada. Iowa State impediu a temporada 0-12, West Virginia continuou invicta em um duelo bem apertado contra BYU, Kansas State só precisou de meio jogo pra atropelar Missouri State e TCU não teve problemas no confronto regional contra SMU. Tudo deu certo e a conferência respira aliviada.

Os Bears chegaram à décima terceira posição no ranking da AP, sua melhor no ano. Os Horned Frogs voltaram a estar ranqueados e os Mountaineers estão fora ainda por muito pouco. Nem parece a mesma conferência cheia de problemas das primeiras três semanas, apesar das chances de classificação de alguém para os playoffs seguirem bem complicadas.

O melhor: Vitórias, vitórias e mais vitórias

O único adversário de nível médio era BYU, já que San José State, SMU e Missouri State são bem fracos. Mas passar por esses rivais com tranquilidade serviu para amenizar um pouco a crise vivida pelas equipes da conferência.

West Virginia teve o jogo mais complicado no papel e em campo. Porém, Skyler Howard estava em excelente dia e completou 31 de 40 passes para 332 jardas, e em certo momento parecia que tudo se resolveria com tranquilidade: na metade do último período os Mountaineers liderando por 35 a 19. Só que por muito pouco a virada não veio. Os Cougars anotaram dois touchdowns em sequência para deixar a diferença em apenas três pontos e, depois de uma jogada bizarra, tiveram a chance de ganhar.

Primeira para o gol para os Mountaineers na linha de quatro jardas. Skyler Howard ainda arrumava o huddle quando o center fez o snap antecipado e jogou a bola na canela do quarterback. BYU recuperou o fumble e teve dois minutos para tentar pelo menos empatar. Chegou até o campo de ataque e a prorrogação parecia provável, mas Maurice Fleming conseguiu a interceptação que matou as chances dos Cougars.

Kansas State só não aplicou uma lavada maior contra Missouri State, da FCS, porque o tempo não deixou. No intervalo, sob chuva torrencial e com alguns raios começando a cair, a NCAA achou que não era necessário existir um segundo tempo em uma partida que já mostrava 35 a 0 no placar e a encerrou ali mesmo. Os Bears tinham apenas 54 jardas totais.

Com problemas sérios no ataque, Iowa State resolveu que era hora de fazer uma rotação de quarterbacks. Joel Lanning, o titular antigo do programa, passou a dividir tempo com o sophomore Jacob Park. Deu certo. Ou pelo menos parece, já que o rival não é muito parâmetro. A secundária dos Cyclones também conseguiu uma exibição tranquilizadora, interceptando quatro vezes o signal caller do amor, Josh Love.

Os Horned Frogs, por sua vez, tiveram um primeiro tempo difícil contra SMU, com o ataque não funcionando direito e o placar do intervalo mostrando apenas 6 a 3. Mas os ajustes feitos no vestiário foram muito funcionais, Kenny Hill pegou fogo na segunda metade, terminando o cotejo com 31 de 45 passes completados para 452 jardas, 2 touchdowns e uma interceptação, e os 27 a 0 da etapa complementar foram suficientes para um passeio sobre os Mustangs.

Equilíbrio entre Baylor e Oklahoma State marca primeiro grande confronto dentro da conferência

Os Cowboys dominaram o relógio, ficando com a bola por 41 dos 60 minutos. Conseguiram 30 first downs, contra 20 dos Bears. E perderam o jogo.

A diferença foi nos turnovers: quatro, contra apenas dois de Baylor, além de um field goal perdido. As oportunidades foram sendo constantemente deixadas no campo pelos Cowboys, enquanto o safety Orion Stewart mais uma vez apareceu muito bem na defesa e interceptou Mason Rudolph em um momento decisivo.

Aliás, as performances dos quarterbacks foram outro fator decisivo: Seth Russell completou 18 de 28 passes para 387 jardas, com 4 touchdowns e uma interceptação. Já Rudolph, de quem se esperava muito, não teve uma noite de sábado inspirada e teve números bem medíocres: 27-45, 279 jardas, uma interceptação – que aconteceu justamente já com o placar final, de 35 a 24, no último período, tentando deixar o placar com apenas uma posse de bola de diferença de novo. Como citamos acima, Orion Stewart, talvez o grande destaque defensivo da conferência em 2016, foi o responsável por ela.

Jogador da semana: Jesse Ertz, QB, Kansas State

kansasstate

Ele só esteve em campo por 30 minutos, mas seus números foram impressionantes: 7 passes completados de 8 tentados para 94 jardas e 2 touchdowns, 3 corridas para 85 jardas. Cada vez que Ertz pegou a bola, alguma coisa boa para o ataque dos Wildcats aconteceu.

Jogada da semana:

Nós sabemos que não foi de propósito, mas imaginem um lance de vôlei dentro do futebol americano. Lynx Hawthorne agiu como um levantador, colocando a bola no colo de Ishamel Zamora. Aí foi só correr livre para esse touchdown bizarro na vitória de Baylor.

Resultados dos times da Big 12 na semana 4:

Sexta-feira, 23 de setembro:

SMU Mustangs 3-33 TCU Horned Frogs

Sábado, 24 de setembro:

Baylor Bears 35-24 Oklahoma State Cowboys
Iowa State Cyclones 
44-10 San José State Spartans
West Virginia Mountaineers 35-32 BYU Cougars
Kansas State Wildcats 35-0 Missouri State Bears

Oklahoma, Texas, Texas Tech e Kansas folgaram na rodada.

Jogos dos times da Big 12 na semana 5:

Quinta-feira, 29 de setembro:

21h30: Texas Tech Red Raiders x Kansas Jayhawks

Sábado, 1 de outubro:

13h: Iowa State Cyclones vs. #13 Baylor Bears
13h: Oklahoma State Cowboys vs. #22 Texas Longhorns
16h30: West Virginia Mountaineers vs. Kansas State Wildcats
18h: #21 TCU Horned Frogs vs. Oklahoma Sooners

Attachment

carlosmassari

Carlos Massari é graduado em Comunicação Social - Midialogia pela Unicamp e atualmente faz pós-graduação em Jornalismo Esportivo. É viciado em todos os tipos de esportes. Cinema, cervejas e viagens também o fazem feliz.