[PREVIEW] Dia 9 da Bowl Season

[PREVIEW] Dia 9 da Bowl Season

A Bowl Season do College Football é como uma escada: os primeiros dias são com poucos jogos e com times e partidas ruins. Os degraus que os seguem contam com mais jogos, mas com jogos e times ainda ruins. Depois, vêm os times do Power Five – que começam com os ruins, mas vão evoluindo. Agora, chegamos no estádio de vários jogos e com times bons, mas com matchups muito desequilibrados. Os próximos passos ainda serão tomados posteriormente.

Zaxby’s Heart of Texas Bowl
Army Black Knights (7-5) vs. North Texas Mean Green (5-7)

Por Pedro Ivo Fonseca

Horário: 15 horas
Local: Cotton Bowl Stadium, Dallas, Texas
Cotação: Army é favorita por 10,5 pontos
Transmissão: Watch ESPN

Nessa partida pelo Heart of Texas Bowl, teremos uma peculiaridade muito interessante e que raramente acontece na Bowl Season. A partida entre Army e North Texas é a segunda das equipes nessa temporada. No primeiro jogo durante a temporada regular, o Mean Green venceu o time do exército por 35-18.

O time de Denton, Texas, terminou a temporada com uma campanha de 5-7 e se classificou para a Bowl Season pelo APR (Academic Progress Rate), que é um coeficiente acadêmico determinante para levar equipes que não atingiram seis vitórias para a pós temporada no caso de falta de preenchimento de vagas. Essa é apenas a segunda aparição de North Texas em um Bowl desde 2005: a última foi em 2014, quando venceu UNLV por 36-14 para vencer esse mesmo Bowl, que na época tinha outro patrocinador.

A equipe não deverá contar com o seu quarterback, titular já que Mason Fine tem uma lesão no ombro é listado como duvidoso. Em seu lugar, deve atuar Alec Morris que atuou nos últimos três jogos da equipe e teve 4 touchdowns e 2 intercetações nas derrotas para Western Kentucky e UTEP e na vitória sobre Southern Miss.

Os Black Knights são conhecidos pelo seu ataque baseado na triple option, onde todos correm. O running back Andy Davidson e o quarterback Ahmad Bradshaw são as principais armas da equipe para conseguirem pontuar. Já a defesa vai muito bem em ambas as vertentes e é o ponto forte da equipe: cede apenas 158 jardas em média por jogo na vertente aérea e 123 jardas terrestres em média por partida. Os números são muito bons. Vamos ver se isso se mantém no jogo de vingança da equipe frente à North Texas.

Palpites

Army: Thaís, Pedro Ivo, Guilherme, Felipe, Carlos
North Texas:

Military Bowl Presented by Northrop Grumman
#24 Temple Owls (10-3) vs. Wake Forest Demon Deacons (6-6)

Por Guilherme Dalla Vecchia

Horário: 18h30
Local: Navy-Marine Corps Memorial Stadium, Annapolis, Maryland.
Cotação: Temple é favorita por 12 pontos.
Transmissão: ESPN+

Partida que considero como um dos piores matchups dessa pós-temporada. Em primeiro lugar, Temple se sagrou campeã de AAC pela primeira vez em sua história e já alcança a marca de pelo menos 10 vitórias na temporada pelo segundo ano consecutivo, portanto a equipe merecia enfrentar um time de maior expressão. Segundo, apesar dos dois times possuírem defesas muito boas, o ataque de Wake Forest corre o risco de não oferecer perigo nenhum à defesa adversária na partida de hoje.

A equipe dos Owls entrará em campo sob o comando do técnico interino Ed Foley após a inusitada saída de seu agora ex-técnico Matt Rhule, que assumiu o time de Baylor no último dia 6 de dezembro. A boa notícia é que o ataque de Temple continuará sendo uma das mais balanceadas entre todos os times da FBS. Enquanto o quarterback Phillip Walker anotou a boa marca de 2899 jardas, 20 touchdowns e 12 interceptações pelo ar durante o ano, o jogo terrestre também funcionou muito bem com a dupla de running backs Jahad Thomas e Ryquell Armstead (ambos correram para 918 jardas e somam 27 touchdowns juntos). Já no lado defensivo, Temple conta com a segunda melhor defesa da FBS em jardas aéreas cedidas, permitindo aos seus adversários apenas 1887 jardas, 11 touchdowns e cometendo 10 interceptações.

Do outro lado, teremos a maior surpresa da ACC nessa temporada. Os Demon Deacons conquistaram uma vaga na Bowl Season pela primeira vez desde 2011. Muito desse feito da equipe se deve ao fato de sua defesa ter permitido apenas 22 pontos por partida aos seus adversários nesse ano (já que se dependessem de seu ataque estariam fora da pós-temporada). No lado ofensivo, Wake Forest precisará mais uma vez que seu ataque terrestre apareça bem com seu quarterback de ameaça dupla John Walford e sua dupla de running backs Matt Colburn e Cade Carney. Pelo ar, tudo tem sido um desastre em 2016, com Walford acertando apenas 55,7% de seus passes para 1591 jardas, 7 touchdowns e 9 interceptações.

Palpites

#24 Temple: Thaís, Pedro Ivo, Guilherme, Felipe, Carlos
Wake Forest: 

National Funding Holiday Bowl
Minnesota Golden Gophers (8-4) vs. Washington State Cougars (8-4)

Por Thaís Chuva

Horário: 22 horas
Local: Qualcomm Stadium, San Diego, California
Cotação: Washington State é favorita por 10 pontos
Transmissão: ESPN+

O Holiday Bowl traz dois candidatos ao título de suas respectivas divisões este ano que ficaram a apenas 2 vitórias do sonho. Pouco mais de um mês atrás, Washington State estava com esperanças maiores que o Holiday Bowl, com recorde 7-0 dentro da conferência e prontos para enfrentar Colorado e Washington, eles precisavam de duas vitórias para competir no Rose Bowl, mas acabaram perdendo ambos os jogos. Porém, uma vitória agora garantiria a segunda temporada consecutiva com 9 vitórias pela primeira vez desde 2002 e terminaria o ano de uma forma positiva. Do outro lado do campo, temos Minnesota e seu treinador de primeiro ano, Tracy Claeys. Os Gophers começaram a temporada 3-0, e mesmo perdendo para equipes melhores dentro da Big Ten, conseguiram competir pelo título da divisão oeste e terminarão o primeiro ano do comando de Claeys em alta, independente do resultado deste jogo. Porém, a boa temporada dentro de campo foi manchada por atitudes fora, quando 10 jogadores foram suspensos e o time resolveu boicotar o bowl devido à união contra essas suspensões. Prestes a ter o jogo cancelado ou serem substituídos por outro time, os jogadores resolveram aceitar as punições e ir ao bowl, mas perderam tempo de treino que não pode ser recuperado.

Dentro de campo, essas suspensões serão de suma importância para a defesa dos Gophers, já que seu backfield foi a equipe mais culpada – justamente o ponto forte do ataque dos Cougars. A secundaria estará sem dois titulares e ainda sem dois cornerbacks reservas imponentes. Boa notícia para Luke Falk e Gabe Marks, que adoram destruir defesas oponentes. Falk já lançou para 4204 jardas e 37 touchdowns, e Marks já recebeu 85 passes para 867 jardas e 13 touchdowns. Além do ataque aéreo, os Cougars ainda têm um forte ataque terrestre com Jamal Morrow, James Williams e Gerard Wicks, que juntos combinaram para 1600 jardas, além de 119 recepções para 7 touchdowns. Sendo assim, Minnesota terá que depender de seus running backs, Rodney Smith e Shannon Brooks, que juntos somam mais de 1600 jardas e 20 touchdowns. Mitch Leidner não é um quaterback que possa ser confiado, já que tem quase o dobro de interceptações (12) do que de touchdowns (7).

Se a defesa de Minnesota estivesse completa, talvez eles ainda teriam chances de vitória, mas com todos estes desfalques é difícil acreditar que eles conseguirão parar Falk e seus companheiros. E a área mais forte da defesa dos Cougars coincide com a especialidade do ataque dos Gophers, o jogo corrido. Então espere um jogo de placar alto e uma vitória fácil de Washington State.

Palpites

Minnesota: 
Washington State: Thaís, Pedro Ivo, Guilherme, Felipe, Carlos

Motel 6 Cactus Bowl
Boise State Broncos (10-2) vs. Baylor Bears (6-6)

Por Carlos Massari

Horário: 1h15 de Brasília
Local: Chase Field, Phoenix, Arizona.
Cotação: Boise State é favorita por 8 pontos.
Transmissão: ESPN+ (em inglês)

Nenhum programa da FBS viveu um 2016 tão turbulento como Baylor. Depois do escândalo envolvendo crimes sexuais sendo encobertos que culminou na demissão de Art Briles, os Bears até pareciam que poderiam surpreender e começaram a temporada 6-0. Só que lesões e uma tenebrosa queda de rendimento levaram a seis derrotas consecutivas, algumas delas bastante humilhantes.

No bowl de nome mais legal de todos, o Motel 6, os Bears tentam terminar a temporada com dignidade contra Boise State. Não será fácil, porém: enfrentar os Broncos não é uma boa notícia para uma equipe que cede em média 30,4 pontos por jogo. A equipe do Idaho pode pontuar bastante tanto por via aérea, com o ótimo quarterback Brett Rypien, como por via terrestre, com o running back Jeremy McNicholls, que fará seu último jogo universitário antes de ir para o draft da NFL. A maior esperança de Baylor para conter todo esse poderio reside no safety Orion Stewart.

Para tentar se manter vivo em um eventual tiroteio, Baylor precisa que o quarterback Zach Smith continue evoluindo: o freshman alternou bons e péssimos momentos desde que Seth Russell se lesionou. Ter um recebedor como KD Cannon ajuda bastante, mas o jogo terrestre será prejudicado, já que Shock Linwood também vai para a NFL mas, ao contrário de McNicholls, decidiu não jogar o bowl para se preservar. Outra má notícia é que a defesa de Boise State é a vigésima segunda melhor do país em pontos cedidos por jogo.

Palpites

Boise State: Thaís, Pedro Ivo, Guilherme, Felipe, Carlos
Baylor: 

Foto: Dean Rutz/The Seattle Times

Attachment