Preview: Dia 6 da Bowl Season

Preview: Dia 6 da Bowl Season

Passados cinco dias de Bowl Season, a impressão inicial que ficou dos jogos realizados até aqui é de os matchups foram claramente desfavoráveis. Todos os jogos dos dias 2 a 5 da Bowl Season terminaram com vitórias de pelo menos 25 pontos de diferença. E a pergunta que fica é: vai melhorar? Vai. Ao menos é o que acreditamos também.

Neste sexto dia de Bowl Season, temos três partidas durante o dia. Teremos o segundo time do Power Five em campo – Texas Tech – em um duelo que promete fazer coordenadores defensivos chorarem, Army jogando contra San Diego State no Bowl das Forças Armadas (cuja ligação é extremamente óbvia) e um rematch na Bowl Season entre Toledo e Appalachian State. Todos os jogos terão transmissão no Watch ESPN, já que infelizmente o College Football irá dividir espaços com a NFL e outras ligas neste sábado (23).

Birmingham Bowl 
South Florida Bulls (9-2) vs. Texas Tech Red Raiders (6-6)

Por Henrique Ferreira

Horário: 15 horas
Local: Legion Field, Birmingham, Alabama
Cotação: South Florida é favorita por 3 pontos
Transmissão: Watch ESPN
Histórico: É o primeiro confronto entre as duas equipes

Se você gosta de assistir partidas com ataques dominantes, já pode ir separando a sua tarde de sábado para acompanhar o Birmingham Bowl. USF tem o nono melhor ataque da nação, enquanto que Texas Tech fica na posição 17 do mesmo quesito. Se já não bastasse isso, a defesa dos Red Raiders já cedeu mais de 5.200 jardas na temporada jogando pela Big 12, conferência marcada por produzir grandes tiroteios em seus jogos.

As equipes chegam para a bowl season em momentos opostos. Enquanto South Florida fez uma grande temporada (9-2) mas terminou de forma decepcionante, perdendo para UCF e ficando de fora de final da AAC, Texas Tech garantiu sua ida ao Birmingham Bowl com uma virada incrível no último quarto contra Texas, fechando a temporada com 6-6. Isso não tira o favoritismo dos Bulls, que parecem ter um ataque mais potente e uma defesa mais equilibrada. O destaque da equipe é o QB Quinton Flowers, que conta com 42 touchdowns totais em 2017 e jogará sua última partida como jogador universitário.

Pelo outro lado, os Red Raiders terão o grande desafio de parar o ataque adversário. Isso por que pontuar não é problema: a equipe anotou mais de 55 touchdowns e 412 pontos durante a temporada – média de 34,8 por jogo – e jogará contra uma defesa que não é grande coisa quando enfrenta fortes adversários. Só para exemplificar, South Florida cedeu mais de 300 jardas para a fraca equipe de East Carolina. Depois de sofrer bastante na partida contra Texas, o QB Nic Shimonek irá liderar o ataque dos Red Raiders novamente, cujo tempo parece ter feito bem para o jogador se recuperar das pancadas na Rivalry Week.

Lockheed Martin Armed Forces Bowl
Army Black Knights (9-3) vs. San Diego State Aztecs (10-2)

Por Sérgio Magalhães Jr.

Horário: 18h30
Local:
Amon G. Carter Stadium, Fort Worth, Texas
Cotação: San Diego State é favorita por 7 pontos
Transmissão: Watch ESPN
Histórico: San Diego State lidera a série por 2-0

Esse duelo promete ser um embate e tanto do jogo terrestre. Enquanto Army é notadamente um ataque marcado por sua triple option, os Aztecs tem um dos melhores running backs do pais e chegaram a liderar a NCAA em jardas terrestres algumas vezes neste ano.

Army tem a melhor marca de jardas terrestres por partida no ano, com 368. Já SDSU tem o running back com mais jardas. Rashaad Penny já correu para pouco mais de 2 mil jardas corridas e ao todo tem 2698 jardas, sendo o lider da Division I em ambas as estatísticas. É inegável a dependência que essas equipes terão do jogo corrido, porém há uma grande diferença. Enquanto o quarterback dos Aztecs é uma ameaça e mostra ter qualidade, com 1843 jardas, 13 touchdowns e 3 interceptações, o mesmo não pode ser dito do quarterback de Army. São 279 jardas em apenas 40 tentativas de passe, das quais somente 13 foram completas, sendo 2 touchdowns e 1 interceptação. Isso também tem a ver com o fato do jogo da equipe não ser voltado para isso, mas mesmo assim não dá pra se esperar muita coisa dali.

Vai ser um jogo interessante devido à dinâmica de um time preferir o jogo terrestre e o outro amar o jogo terrestre, fingindo que o jogo aéreo nem existe. Se nenhum dos dois abrir vantagem no inicio, será um jogo bem diferente de assistir.

Dollar General Bowl
Toledo Rockets (11-2) vs. Appalachian State Mountaineers (8-4)

Por Henrique Ferreira

Horário: 22 horas
Local: Ladd-Peebles Stadium, Mobile, Alabama
Cotação: Toledo é favorita por 7 pontos
Transmissão: Watch ESPN
Histórico: Appalachian State lidera a série por 1-0

Um ano depois o confronto se repete. Toledo e Appalachian State se enfrentam em um Bowl pelo segundo ano consecutivo depois do Camellia Bowl do ano passado. Na ocasião, os Mountaineers saíram com a vitória por 31-28. Neste ano, entretanto, o confronto terá ainda mais relevância, já que as duas universidades venceram suas conferências – Toledo venceu a MAC e Appalachian State venceu a Sun Belt. Aliado a isso, temos dois ataques explosivos em busca da vitória em um Bowl disputado num sábado à noite. Parece um cenário interessante.

Em busca de vingança pela derrota no ano passado, os Rockets acreditam em uma última grande atuação do QB Logan Woodside. O jogador fez uma grande carreira universitária e já conta com 3758 jardas lançadas e 28 touchdowns em seu ano como senior. Uma vitória nessa partida pode coroar Woodside e vingar os Rockets pela derrota no Camellia Bowl. Já os Mountaineers tentam confirmar a “freguesia” em cima do seu adversário vencendo mais uma vez. Para isso, vão precisar contar com mais uma boa atuação de seu ataque terrestre – um dos melhores da Sun Belt – e aéreo – liderado pelo QB Taylor Lamb.

A expectativa é de uma partida bem animada e com grandes pontuações. Toledo parece estar um pouco a frente de seu adversário por ter um ataque mais completo, mas vale lembrar que os Rockets também eram favoritos no ano passado…

Foto: Chris Nicoll/USA Today Sports

Attachment

felipem

Estudante de jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria e criador do College Football Brasil. Imparcialidade não existe, College Football é melhor que NFL e apaixonado por esportes. Torcedor da Universidade de Tennessee.