[PREVIEW] Dia 6 da Bowl Season

[PREVIEW] Dia 6 da Bowl Season

Após quatro dias com apenas um jogo de pós-temporada, o dia 6 de Bowl Season é o segundo com mais de um jogo. Várias mid-majors de grande qualidade se enfrentam para serem acompanhadas a partir das 16 horas (Horário de Brasília).

Popeyes Bahamas Bowl
Eastern Michigan Eagles (7-5) vs. Old Dominion Monarchs (9-3)

Por Carlos Massari

Horário: 16h de Brasília.
Local: Thomas Robinson Stadium, Nassau, Bahamas.
Cotação: Old Dominion é favorita por 5 pontos.
Transmissão: Watch ESPN.

Se um homem vindo dos dias de hoje chegasse em algum ano próximo a 2008 e dissesse que, em 2016, Eastern Michigan e Old Dominion se enfrentariam em um bowl game nas Bahamas, seria internado em um hospício. Isso porque os Eagles foram repetidamente um dos piores times da FBS, sem uma campanha positiva desde 1989, os Monarchs nem sequer jogavam futebol americano até 2009 e não estavam na primeira divisão até 2014 e a ideia de jogar uma partida de pós-temporada no Caribe também só veio nesse mesmo ano.

É, portanto, um dia histórico para os dois programas. Segundo bowl da história de Eastern Michigan, primeiro de Old Dominion. E em um paraíso. Quem pode levar a melhor?

Muito do sucesso dos dois times vem de seus ataques aéreos: Brogan Roback foi o jogador melhor cotado já recrutado pelos Eagles, e ele finalmente conseguiu ter uma temporada saudável. A conexão com Sergio Bailey III produziu ótimos números e é difícil de ser parada. Também merece destaque a linha ofensiva, que é surpreendentemente uma das melhores da FBS. Para os Monarchs, David Washington produziu 28 touchdowns contra apenas 4 interceptações, sempre cuidando bem da bola. Pode estar nos ombros desses dois a chave para o confronto, já que nenhuma das duas defesas é muito confiável.

A favor de Eastern Michigan, pesa que a tabela dos Monarchs foi fraquíssima – apenas duas vitórias sobre rivais que se qualificaram para a bowl season (UTSA e Southern Miss) e várias outras contra equipes deploráveis. A favor de Old Dominion, boa parte das estatísticas, mas sobretudo o ataque terrestre.

Deve ser um jogo empolgante, principalmente pelo fato de história estar sendo feita para os dois times. Fique de olho no duelo entre o bom pass rush de Old Dominion e a já citada linha ofensiva de Eastern Michigan.

Palpites

Eastern Michigan: Carlos
Old Dominion: Thaís, Felipe

Lockheed Martin Armed Forces Bowl
Louisiana Tech Bulldogs (8-5) vs. #25 Navy Midshipmen (9-3)

Por Thaís Chuva

Horário: 19h30 de Brasília.
Local: Amon G. Carter Stadium, Fort Worth, Texas.
Cotação: Louisiana Tech é favorita por 5 pontos.
Transmissão: ESPN.

O Armed Forces Bowl traz duas equipes que tinham potencial para vencer suas respectivas conferências, com ataques fortes e quarterbacks impressionantes. Mas tanto Navy quanto Louisiana Tech perderam suas finais e chegam ao bowl com sede de vitória para terminar o ano com pelo menos um troféu na mão.

Os times só se enfrentaram duas vezes ao longo da história da FBS e Navy saiu com as duas vitórias – em 2009 e 2010. O Midshipmen chega ao jogo após duas derrotas decepcionantes: a primeira para Temple na final da AAC, onde perdeu por 34-10, e a segunda contra seus maiores rivais, Army, quando os Black Knights venceram por 21-17 e quebraram o tabu de 14 anos sem vitórias na rivalidade. O principal motivo dessas derrotas depois de terminar a temporada regular com 9 vitórias foi o grande número de jogadores lesionados, incluindo seu quarterback Will Worth e o running back Toneo Gulley. Worth, em seu primeiro ano como titular, conseguiu substituir Keenan Reynolds muito bem: além de ser preciso com seus passes, era um ótimo corredor e já tinha mais de 1100 jardas terrestres na temporada. Porém, agora eles estão nas mãos do sophomore Zach Abey, que foi o titular nas últimas derrotas de Navy. Ele terá que melhorar muito seu jogo em um curto espaço de tempo. Navy não perdia dois jogos consecutivos desde 2014, e se vencer este confronto, terminará com 10 vitórias em dois anos seguidos pela primeira vez na história do programa.

Louisiana Tech também vem de duas derrotas seguidas: para Southern Mississippi no último jogo da temporada regular e para Western Kentucky na final da Conference USA. Os Bulldogs têm um dos jogos aéreos mais potentes da temporada e irão explorar a secundária fraca de Navy. O quarterback Ryan Higgins teve uma ótima temporada, liderando os Bulldogs este ano: o senior lançou para 4200 jardas e 37 touchdowns, e ainda foi eleito o MVP da Conference USA. Além disso, ele é apoiado por uma ótima dupla de recebedores, com Trent Taylor e Carlos Henderson recebendo mais de 1400 jardas cada um. Para sair vitoriosa, LA Tech deve usar seu talento e mover a bola pelo ar com seu ataque aéreo dinâmico – Henderson e Taylor sabem se deslocar e conseguir espaço para grandes jogadas, e se a defesa dos Bulldogs conseguir segurar o jogo corrido de Navy, deve vencer este jogo. No outro lado, para Navy vencer, eles têm que conseguir passar pela defesa e usar muito o jogo corrido, com Shawn White e Chris High para manter o ataque dos Bulldogs fora de campo, controlando o relógio. Contando com todas as lesões de Navy e uma equipe completa de Louisiana, os Bulldogs devem vencer este jogo com facilidade e com uma ótima performance de Higgins.

Palpites

Louisiana Tech: Thaís, Carlos, Felipe
#25 Navy:

Dollar General Bowl
Ohio Bobcats (8-5) vs. Troy Trojans (9-3)

Por Carlos Massari

Horário: 23h de Brasília
Local: Ladd-Peebles Stadium, Mobile, Alabama.
Cotação: Troy é favorita por 4 pontos.
Transmissão: Ao vivo na ESPN+.

A temporada de Troy foi quase uma tragédia grega (ou troiana, se preferir). Eles chegaram muito perto de um upset inacreditável contra Clemson logo na terceira semana, mas perderam por menos de uma posse de bola. Então, construíram uma campanha de 8-1 e tinham nove dedos na taça da Sun Belt até sofrerem um colapso e acabarem derrotados para Arkansas State e Georgia Southern. Sobrou só o pó de todas as esperanças nutridas pelos Trojans em 2016.

Agora, eles se contentam com o Dollar General Bowl, contra o mediano time de Ohio. Devido a estar em uma divisão bem fraca, os Bobcats conseguiram disputar a final da MAC, onde até tiveram uma exibição digna contra a invicta Western Michigan.

Troy é melhor, mas é difícil saber como estará moralmente – vimos recentemente uma equipe que sofreu derrocada durante a temporada regular não aparecer em campo em seu bowl (Central Michigan). Assim, pode ser que nomes como o linebacker Quentin Poling, comandante de um dos melhores pass rushes da FBS, tenham uma grande noite. Do lado dos Trojans, o running back Jordan Chunn é a estrela, com 1232 jardas terrestres e 12 touchdowns.

Vale lembrar que os Bobcats dificultaram as partidas para todos os seus rivais em 2016, o que nos diz que pelo menos equlibrado o confronto deve ser.

Palpites

Ohio:
Troy: Thaís, Carlos, Felipe

Attachment