Jogos da semana 8 do College Football que você não pode perder

Jogos da semana 8 do College Football que você não pode perder

Nem só de partidas totalmente espetaculares vive o College Football. Algumas partidas de menor importância também são extremamente interessantes e válidas de serem acompanhadas. Listamos algumas que podem ter jogos e matchups interessantes, ou simplesmente estão aqui por serem clássicos mesmo.

Lembrando que: com o início do horário de verão no Brasil, as partidas se iniciam a partir das 14 horas, e não às 13 horas como nas semanas anteriores.

Preview: #2 Penn State vs. #19 Michigan
Preview: #13 Notre Dame vs. #11 USC

#10 Oklahoma State Cowboys (5-1, 2-1 na Big 12) vs. Texas Longhorns (3-3, 2-1 na Big 12)

Horário: 14 horas
Local: Darrell K. Royal Texas Memorial Stadium, Austin, Texas
Linha: Oklahoma State é favorita por 7 pontos
Histórico: Texas lidera a série por 24-7
Transmissão: Watch ESPN

No Red River Showdown contra Oklahoma, a equipe do head coach Tom Herman chegou perto de vencer, mas perdeu para os Sooners. Mesmo com a derrota, o desempenho trouxe otimismo. O quarterback Sam Ehlinger foi mais uma vez o protagonista do ataque, com 7,1 jardas por passe e 110 jardas terrestres. A defesa ainda preocupa pela inconsistência, pois no primeiro tempo cedeu 342 jardas para Oklahoma e no segundo tempo foram apenas 176 jardas para os Sooners. Porém, para derrotar os Cowboys a defesa de Texas deve segurar o poderoso ataque que marca, em média, 49 pontos por partida.

Pelo lado dos Cowboys, após a derrota para TCU, a equipe mantém a regularidade e venceu duas partidas consecutivas com mais de 100 jardas terrestres pelo running back Justice Hill. Além do bom desempenho no ataque terrestre, os Cowboys também são eficientes no jogo aéreo com o QB Mason Rudolph, que possui a média de 395 jardas de passe por partida, o melhor do país no quesito.

Florida State Seminoles (2-3, 2-2 na ACC) vs. Louisville Cardinals (4-3, 1-3 na ACC)

Horário: 14 horas
Local: Doak Campbell Stadium, Tallahassee, Flórida
Linha: Florida State é favorita por 6 pontos
Histórico: Florida State lidera a série por 14-3

É o duelo de desesperados dentro da ACC. Florida State precisa vencer para seguir em busca das seis vitórias e, consequentemente, da elegibilidade para a bowl season. Já Louisville tenta se restabelecer na temporada depois de duas derrotas consecutivas dentro da conferência. Será interessante ver como os QBs irão encarar as defesas nesse jogo. James Blackman, QB calouro de FSU, pode se consolidar com uma boa partida,3 já que vai enfrentar o fraco setor defensivo dos Cardinals – apenas o número 85 do país em pontos cedidos.

Do outro lado, Lamar Jackson, QB de Louisville, enfrentará uma forte secundária, configurando um matchup interessante e que pode definir a partida. O ataque terrestre pode ser uma válvula de escape para ambas as equipes. Reggie Bonnafon pelos Cardinals tem conseguido jogadas explosivas e já conta com 3 TDs na temporada. Já o calouro Cam Akers parece estar se estabelecendo aos poucos como o titular dos Seminoles, contabilizando 379 jardas nas cinco primeiras partidas de sua carreira universitária.

#1 Alabama Crimson Tide (7-0, 4-0 na SEC) vs. Tennessee Volunteers (3-3, 0-3 na SEC)

Horário: 17h30
Local: Bryant-Denny Stadium, Tuscaloosa, Alabama
Linha: Alabama é favorita por 37 pontos
Histórico: Alabama lidera a série por 54-38-7
Transmissão: CBS Sports App para Android e iOS

A situação extremamente bizarra pelo lado de Tennessee e o flagrante desequilíbrio verificado até mesmo nas linhas de apostas, as quais colocam os Vols como o 2º maior azarão da semana 8 em pontos (perdendo apenas pra Kansas contra TCU), ofuscaram o peso de tamanho clássico – um dos mais tradicionais do College Football. Neste sábado, será realizado o 100º Third Saturday in October – cujo próprio nome já diz que a partida é realizada nos terceiros sábados do mês de outubro. Apesar disso, entre 1995 e 2015, o jogo só ocorreu nesta data seis vezes.

Tennessee anda altamente pressionada pela péssima campanha que faz: com campanha 3-3, o time não anota um touchdown desde o 2º quarto do jogo contra UMass, ocorrido há quase um mês. De lá pra cá, foram duas derrotas – uma delas por 41-0 em casa para Georgia – uma semana de folga, um quarterback trocado, o melhor jogador da linha ofensiva perdendo a temporada por lesão e centenas de pedidos de demissão do técnico Butch Jones, que está mais pressionado do que nunca. O quarterback Jarrett Guarantano fará apenas seu segundo jogo como titular e, mesmo sendo um redshirt freshman, já terá que encarar a número 1 do país fora de casa. Isso com uma linha ofensiva bastante fraca e um jogo terrestre que, embora seja muito bom, não vai conseguir se criar contra o poderoso front seven do Crimson Tide.

Alabama não tem muito o que fazer: basta executar o que já vem dando certo. A defesa de Tennessee é qualificada, mas a baixa qualidade do ataque dos Vols vai obrigar a unidade defensiva a ficar demasiado tempo em campo e destruir a sua resistência aos poucos, além de colocar uma pressão insuportável em cima. Pode ser que o time até tenha problemas caso o jogo terrestre não entre já que Jalen Hurts não é muito qualificado no passe ainda e Damien Harris está fora por lesão, mas é muito difícil de se fazer isso quando estamos falando a respeito da possivelmente melhor linha ofensiva do país. A provável tendência é que o jogo seja decidido logo cedo e o segundo tempo vire um verdadeiro amistoso para mais de 100 mil pessoas acompanharem.

Outros dados interessantes: esta é a partida em que Tennessee entra como maior azarão desde 1985. Se Alabama vencer neste sábado, iguala a maior sequência de vitórias que já teve no clássico (11 entre 1971 e 1981).

#8 Miami Hurricanes (5-0, 3-0 na ACC) vs. Syracuse Orange (4-3, 2-1 na ACC)

Horário: 17h30
Local: Hard Rock Stadium, Miami, Flórida
Linha: Miami é favorita por 17,5 pontos
Histórico: Miami lidera a série por 15-7
Transmissão: ESPN+ e Watch ESPN

A equipe do head coach Dino Babers abalou o universo do college football na semana passada ao derrotar Clemson pelo placar de 27-24 e acabar com a série invicta dos Tigers. E Syracuse tenta mais uma vez derrubar uma equipe que está no Top 10 do ranking da AP. Para derrubar Miami, o Orange conta com o entrosamento entre o quarterback Eric Dungey e os wide receivers Steve Ishmael e Ervin Phillips, que deu bastante certo na semana 7.

Pelo lado dos Canes, o técnico Mark Richt possui uma defesa sólida, que está em terceiro lugar no país no número de tackles atrás da linha de scrimmage e em quinto em sacks. Além disso, o substituto do lesionado Mark Walton, o running back Travis Homer, é o principal jogador do ataque para este sábado após um ótimo desempenho na vitória contra Georgia Tech por 25-24. Contra os Yellow Jackets, ele correu para 170 jardas em 20 tentativas.

Navy Midshipmen (5-1, 3-1 na American) vs. #20 UCF Knights (5-0, 3-0 na American)

Horário: 17h30
Local: Navy Memorial Stadium, Annapolis, Maryland
Linha de apostas: UCF é favorita por 7,5 pontos
Histórico: Primeiro confronto
Transmissão: Watch ESPN

Navy e UCF fazem ótimas campanhas na temporada e seguem firmes na briga pelo título da conferência, podendo esse jogo ser até mesmo uma prévia das finais, visto que ambas jogam em divisões diferentes. Os Knights tem sido perfeitos até aqui, com campanha 5-0 e um ataque avassalador liderado pelo QB McKenzie Milton, que já tem 15 TDs lançados e 1489 jardas em apenas cinco jogos disputados. Sua defesa também tem sido espetacular, limitando seus adversários a menos de 200 jardas terrestres em todas as partidas.

E esse é um dado que preocupa Navy. O ataque do Midshipmen, baseado na triple option, recorre a jogadas pelo chão a todo momento e deve encontrar inúmeras dificuldades para se estabelecer. O QB da Marinha, Zach Abey, tem números patéticos quando resolve lançar a bola: são apenas 491 jardas em seis jogos, o que dá uma média de aproximadamente 81 jardas por partida. Contra uma forte defesa e um ataque que vem castigando todo mundo, é difícil pensar em um resultado a não ser a vitória dos Knights nesse sábado.

Kansas State Wildcats (3-3, 1-2 na Big 12) vs. #9 Oklahoma Sooners (5-1, 2-1 na Big 12)

Horário: 18 horas
Local: Bill Snyder Family Stadium, Manhattan, Kansas
Linha: Oklahoma é favorita por 14,5 pontos
Histórico: Oklahoma lidera a série por 74-19-4

Ainda não se sabe se Kansas State poderá contar com a volta de seu quarterback Jesse Ertz nesta partida, mas a maior probabilidade é que o responsável por comandar o ataque seja de Alex Delton. Isso é um sério problema, já que a equipe anotou apenas seis pontos diante de TCU sem o signal caller titular. É verdade que a defesa de Oklahoma vem tendo problemas e que o time decepcionou ao sofrer viradas de Iowa State e Texas – conseguindo se recuperar na segunda – mas o ataque continua funcionando e Baker Mayfield ainda lidera a FBS em rating.

Por isso, os donos da casa precisarão da volta de Ertz se quiserem ter alguma chance. Os Wildcats até possuem uma sólida unidade defensiva, só que é muito complicado parar completamente o ataque dos Sooners, que deve conseguir, como sempre, alguns longos touchdowns. A lógica é que a equipe visitante consiga vencer sem grandes dificuldades caso Delton continue atuando para os mandantes, ajudando assim a espantar a preocupante fase que vive KSU.

Oregon Ducks (4-3, 1-3 na Pac-12) vs. UCLA Bruins (3-3, 1-2 na Pac-12)

Horário: 18 horas
Local: Rose Bowl, Pasadena, California
Linha: UCLA é favorita por 6 pontos
Histórico: UCLA lidera a série por 38-28
Transmissão: Pac-12 Networks International

Embora UCLA seja a maior vencedora do confronto, é Oregon quem vive o melhor momento, pelo menos dentro da rivalidade. Os Ducks vivem atualmente sua maior sequência de vitórias sobre a rival, com seis triunfos consecutivos e a apenas uma vitória de empatar a maior invencibilidade da série, que pertence aos Bruins, e foi conquistada entre 1949 e 1956.

É difícil apontar um favorito de fato para a partida. Talvez UCLA se desponte suavemente a frente por jogar em casa e contar com um dos quarterbacks mais completos do ano até agora. Josh Rosen tem números que chamam a atenção, com 2354 jardas e 17 touchdowns. Isso fica ainda mais evidente com os números da unidade ofensiva da equipe. Por exemplo: da média de 527,2 jardas por partida: 399,7 delas são aéreas. O grande problema dos Bruins é o jogo corrido pelos dois lados da bola. Enquanto ofensivamente são apenas 127,5 jardas por jogo, a defesa cede 313 jardas terrestres aos adversários. Essa inabilidade em correr com a bola sobrecarrega a quantidade de passes de Rosen. Essa sobrecarga, por sua vez, gera outros dois problemas: as 8 interceptações já lançadas por Rosen nesse ano, e a falta de controle do relógio, mesmo quando a equipe está vencendo.

Já pelo lado dos Ducks, a principal notícia, é a ausência de seu quarterback titular, Justin Herbert com uma lesão na clavícula. Embora essa não seja uma notícia nova, ela precisa ser comentada após a atuação dos Ducks semana passada contra Stanford, onde o time teve miseráveis 33 jardas aéreas. Não é preciso comentar a importância de um jogador de qualidade under center para qualquer time de futebol americano. Enfrentar um playmaker como Josh Rosen, que irá lançar muitas bolas independente do que esteja acontecendo – salvo em caso de uma lavada – acentua ainda mais a necessidade de lançar passes. Oregon precisará abrir vantagem e administrar com o eficiente jogo corrido se quiser ter alguma chance. Se sair muito atrás do placar, será impossível ir atrás da vitória sem arriscar nos passes. E ao que tudo indica, os Ducks não possuem alguém capaz de fazer isso no momento.

Foto: Joe Robbins/Getty Images

Attachment

sergio-magalhaes

Estudante de Engenharia, apaixonado por esportes universitários, suas histórias e bastidores. Tentando relacionar geopolítica e aspectos econômicos com o esporte, ou apenas me emocionando com ele. Clubista quando se trata da LSU. Geaux Tigers!