[PROSPECTOS 2017] Charles Harris, DE, Missouri

[PROSPECTOS 2017] Charles Harris, DE, Missouri

Começou a jogar futebol americano no terceiro ano de high school e depois de dois anos foi recrutado por uma univeridade da SEC. Três anos depois é considerado uma possível escolha de primeiro round no draft. Esse é Charles Harris que fez uma excelente carreira em Missouri, principalmente em 2015.

Ele é um jogador que seria melhor numa defesa 4-3, porém ele conseguiria atuar como OLB de 3-4 também. Ele vem de um local que desde 2011 vem produzindo vários defensive end para os profissionais: Aldon Smith, Kony Ealy, Markus Golden e Shane Ray. Agora é a vez de Harris!

Estatísticas:

2014 (freshman):

19 tackles (13 solo), 4 tackles para perda de jardas, 2 sacks, 1 fumble forçado e 2 passes desviados.

2015 (sophomore):

56 tackles (32 solo), 18,5 tackles para perda de jardas, 7 sacks, 2 fumbles forçados e 1 passe desviado.

2016 (junior):

61 tackles (35 solo), 12 tackles para perda de jardas, 9 sacks, 2 fumbles forçados e 2 passes desviados.

Pontos Positivos:

A explosão que sai da posição inicial e inicia a tentativa de conter o bloqueio é o que mais salta aos olhos.

Vai bem tanto no pass rush, quanto contra o jogo corrido.

Consegue ser um defensive end tanto do lado esquerdo, quanto do lado direito da linha.

Gosta de criar movimento corporal para induzir o bloqueador ao erro.

Também consegue trabalhar em coberturas curtas se necessário for.

Pontos Negativos:

Missouri mudou o esquema defensivo e ele teve muitos problemas para se adaptar inicialmente.

Trabalho de mãos precisa melhorar consistentemente no próximo nível.

Precisa trabalhar a reação às trocas de direção de um running back.

Poucos passes desviados durante a carreira. Precisa entender que ele também é um jogador importante nessa área apesar de não ser tão alto.

E você? O que acha de Charles Harris? Veja aqui os Highlights do jogador e deixe nos comentários a sua opinião.

Attachment

pedro-ivo

Pedro Ivo tem 25 anos e se formou em Jornalismo em 2016. Começou a acompanhar a NCAA em 2010, quando foi morar em Vancouver. Em visita à cidade, estava sem dinheiro para ir a um jogo do Seattle Seahawks e aceitou ir ver um jogo de Washington, já que o ingresso era bem mais barato. Os Huskies venceram UCLA por 24-7 de virada e ali começou uma paixão pelo time roxo da Pac-12.